• Dra. Marina Lino Vieira

Varíola do Macaco e a Pele

Com casos confirmados em dezenas de países, a varíola do macaco chegou ao Brasil em junho de 2022. Essa doença que também afeta a pele ainda não é muito conhecida e vem tomando lugar nas notícias de todo país. Fique comigo até o final desse blog post para conhecer um pouco mais sobre essa enfermidade.


varíola do macaco em crianças

Acompanhamos pelas notícias que o Brasil confirmou oficialmente o primeiro caso de varíola do macaco em São Paulo no dia 8 de junho. No momento há confirmação de diversos casos em outros estados.


A doença é considerada uma zoonose viral, isto é, doença infecciosa que se transmite de um animal para um humano e vice-versa. Essa enfermidade é causada pelo vírus monkeypox, membro da mesma família da varíola, doença já erradicada entre os seres humanos.


A varíola do macaco, ou ortopoxvirosis símia, se manifesta inicialmente por meio de lesões de pele, como pequenas bolinhas. Rapidamente essas bolinhas se transformam em bolhas com pus que, ao serem rompidas, formam crostas que caem deixando a pele com pequenas feridas.


Essa doença de pele possui sintomas que desaparecem após algum tempo, mas há alguns casos graves registrados. De acordo com a OMS, A taxa de mortalidade da varíola do macaco tem uma variação histórica de 0 a 11% na população em geral. Entre as crianças, a taxa de mortalidade é de cerca de 3 a 6%.

varíola do macaco é uma doença viral

Como surgiu a varíola do macaco


A varíola do macaco foi identificada pela primeira vez em 1958 entre macacos de laboratório. Porém o primeiro caso em humanos só foi notificado anos depois, em 1970, na República Democrática do Congo.


Desde então, a doença tem sido detectada em outros países nas regiões central e ocidental da África. Em pouco tempo, essa enfermidade foi considerada endêmica no território africano, ou seja, com incidência relativamente constante ao passar dos anos.


Somente em 2003 a varíola do macaco foi registrada fora daquele continente. Naquele ano, ocorreu um surto da doença nos Estados Unidos. Algumas pessoas nesse período começaram a desenvolver a varíola do macaco e notou-se que as mesmas tinham como animal de estimação cão-da-pradaria (um tipo de roedor).


Esses indivíduos também haviam tido contato próximo com um grupo de animais importados da África, o qual foi outro fator relevante para o surto. Apesar do nome, não se pode afirmar com certeza se os macacos são a espécie hospedeira do vírus.


Sintomas e transmissão da varíola do macaco


Os sintomas da varíola do macaco são semelhantes, ainda que em menor escala, aos observados na varíola. São eles:


· Febre;

· Dor de cabeça;

· Dores musculares e dorsais durante os primeiros cinco dias;

· Gânglios linfáticos inflamados;

· Cansaço.


Em seguida, aparecem erupções na pele do rosto, palmas das mãos e solas dos pés, lesões, pústulas e, finalmente, crostas.

varíola do macaco - erupções cutâneas

A infecção nos casos iniciais da varíola do macaco se deve ao contato direto com sangue, membranas e mucosas de animais infectados. Já a transmissão de pessoa para pessoa, pode ser resultado do contato próximo com secreções infectadas das vias respiratórias.


Outro meio de transmissão são lesões na pele de uma pessoa infectada ou objetos recentemente contaminados com fluidos biológicos ou material das lesões de um paciente. Ainda assim, especialistas da OMS explicam que não existem informações sobre transmissão por fluidos corporais


Para prevenir o contágio, o contato próximo com pessoas infectadas ou materiais contaminados deve ser evitado. Luvas e outras roupas e equipamentos de proteção individual devem ser usados ​​ao cuidar dos doentes, seja em uma unidade de saúde ou em casa.


A varíola do macaco é uma doença silvestre e o período de incubação varia entre seis e 13 dias, podendo acontecer entre 5 e 21 dias.


Apesar do alerta da OMS quanto ao recente aumento do número de casos entre homens que têm relações sexuais com outros homens, a varíola do macaco pode afetar qualquer pessoa e não está associada a nenhum grupo em particular.


Existe vacina e prevenção?


Apesar de não existir vacina ou tratamentos específicos para a varíola do macaco, as crises podem ser contidas. A boa notícia é que a vacina contra a varíola tradicional é eficaz também contra a varíola do macaco.


Entretanto, a OMS explica que as pessoas com 50 anos ou menos podem estar mais suscetíveis devido à interrupção das campanhas de vacinação contra a varíola, quando a doença foi erradicada em 1980.


A agencia da ONU tem trabalhado na verificação dos estoques atuais da vacina da varíola para verificar se são necessárias atualizações. Entretanto, a varíola do macaco geralmente se cura por conta própria, preservando os sintomas entre 14 a 21 dias durante o período da doença.


Os casos graves ocorrem com mais frequência em crianças e estão relacionados à extensão da exposição ao vírus, ao estado de saúde do paciente e à gravidade das complicações.


O que você precisa saber sobre a varíola do macaco


Até o momento atual não está claro o motivo por trás do avanço da varíola do macaco na Europa, América do Norte e Austrália.


Uma possibilidade é que o vírus tenha mudado de alguma forma, mas até o momento não há evidências de que esteja em circulação uma nova variante. Outra possibilidade é de que, com a redução da cobertura vacinal para a varíola (que é considerada erradicada no mundo desde 1980), o vírus tenha encontrado condições propícias para se propagar mais do que antes.


O contágio pode se dar pelo contato com roupas, lençóis e toalhas usados por alguém com lesões causadas pela doença; ter contato com lesões, bolhas, saliva (tosse ou espirro). Apesar de não ser uma doença sexualmente transmissível, o contágio pode ocorrer em decorrência do contato físico e troca de fluidos.


varíola do macaco - o que você precisa saber

Se você possui algum dos sintomas descritos acima é importante que procure ajuda de um profissional para avaliar excluir a varíola do macaco. Caso confirmado, o dermatologista poderá orientar quanto ao cuidado com as feridas, para evitar a disseminação da doença e evitar marcas indesejadas.


Aqui na clínica contamos com uma equipe pronta para te atender e te deixar o mais confortável possível. Entendemos que as doenças de pele podem mexer com a autoestima das pessoas, mas que se feito o diagnóstico e tratamento da maneira correta, os danos podem ser minimizados.


A varíola do macaco geralmente é uma doença branda, mas casos graves podem ocorrer. Conheça os sintomas e esteja alerta para buscar ajuda profissional caso necessário!


 





Se você está em busca de ajuda para cuidar da sua pele, agende uma consulta comigo clicando no link abaixo.




5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo