• Dra. Marina Lino Vieira

Cravos e espinhas: Com que idade eles aparecem

Uma das maiores preocupações de qualquer jovem no começo da adolescência é a aparição de cravos e espinhas, a famosa acne. Nessa fase, o corpo passa por diversas mudanças hormonais, físicas e comportamentais e, lidar com a acne, pode se tornar o pesadelo de qualquer adolescente. Hoje eu preparei para vocês um conteúdo sobre o que você pode fazer para amenizar os efeitos causados por eles no seu corpo e até mesmo como preveni-las.


Tratamento de cravos e espinhas com a Dra. Marina Lino Dermatologista

Não é novidade que lidar com os cravos e espinhas na adolescência incomoda grande parte dos jovens. Esse fator se deve às alterações hormonais que ocorrem no período da puberdade o que tende a deixar a pele mais oleosa. Durante essa fase, os órgãos sexuais (testículos nos meninos e ovários nas meninas) começam a produzir diferentes hormônios e, um grupo chamado andrógeno, é responsável por algumas mudanças no corpo do adolescente, entre elas o surgimento da acne.


Os andrógenos estimulam o crescimento de pelos corporais e o aumento da massa muscular e óssea. Esses hormônios se comunicam diretamente com a glândula sebácea, lugar onde ocorre um estímulo de maior produção de óleo no corpo.


Como resultado desse processo, durante a puberdade, o rosto – e muitas vezes as costas – ficam mais oleosos, causando assim o aparecimento de cravos e espinhas. Cerca de 80% dos adolescentes sofrem com acne e, embora seja algo comum, é possível evitar e/ou tratar com os cuidados adequados.


Por que e quando surgem cravos e espinhas?


Existem muitos fatores capazes de causar cravos e espinhas, porém, o principal e mais comum é o excesso de oleosidade na região. Com o aumento da produção de sebo das glândulas sebáceas, os poros podem ficar obstruídos, causando o aumento da proliferação de bactérias e, consequentemente, a formação de cravos. Quando ocorre a inflamação dos cravos, acontece a formação de espinhas.


Esse excesso de oleosidade pode ser causado tanto por fatores externos quanto internos, sendo importante buscar um médico dermatologista para averiguar as causas e a melhor forma de tratamento para os cravos e espinhas do paciente.


As acnes podem aparecer em qualquer idade, mas pioram na adolescência quando o aumento no nível de hormônios no corpo incentiva a produção de gordura na pele. Entretanto, da mesma forma que para alguns pode ser um problema temporário, para outros pode durar anos ou até mesmo começar mais cedo.


Estudos mostram que cada vez mais crianças menores de 12 anos estão apresentando espinhas ou cravos. Mas as causas costumam ser as mesmas dos adolescentes:


· Predisposição genética;

· Alterações hormonais;

· Períodos de estresse emocional;

· Exposição exagerada ao sol;

· Uso de medicamentos (como corticoides);

· Aplicação de hidratantes ou protetores solares inadequados que bloqueiam os poros e impedem a pele de “respirar” entre outros.


Uma boa parte dos casos de acne infantil se deve à puberdade precoce, sendo assim deve ser considerado um sinal de alerta para a possibilidade de disfunção hormonal. Nesses casos o mais eficaz é fazer uma visita a um endocrinologista pediatra para uma melhor avaliação da criança e, se necessário, começar um tratamento.


Como tratar a acne?


Como vimos, o surgimento de espinhas e cravos se deve ao excesso de gordura no nosso corpo. Sendo assim, uma das maneiras de evitar esse excesso de óleo na nossa pele é através da nossa alimentação. O abuso no consumo de doces e alimentos ricos em gordura pode levar ao aparecimento de espinhas. Por outro lado, uma alimentação rica em verduras e frutas contém vitaminas e sais minerais que atuam protegendo a nossa pele contra o aparecimento da acne.


É importante ressaltar que, uma vez as espinhas e cravos começam a surgir, o tratamento é completamente individualizado. Isso significa que o procedimento adotado por uma pessoa pode não resolver o problema de outra.


Algumas pessoas, por exemplo, precisam fazer um tratamento mais intenso para eliminar os cravos e espinhas. Após a visita ao dermatologista, pode ser que o paciente deva iniciar um tratamento medicamentoso e necessite mudar os hábitos de cuidados com a pele.


Os tratamentos para cravos e espinhas podem variar entre o uso de pomadas, antibióticos orais e até mesmo injetáveis. Em todos os casos, é muito importante o acompanhamento regular ao dermatologista e a consistência no tratamento.


Como evitar as manchas causadas por cravos e espinhas na pele


Microagulhamento para amenizar cicatrizes de cravos e espinhas

A prevenção é sempre o melhor o remédio e no caso da acne não é diferente. Para evitar o surgimento das marcas causadas por elas o melhor a se fazer é tratar a pele antes do seu aparecimento. Como falamos anteriormente, uma alimentação com baixo consumo de açúcares, farinhas e gorduras saturadas pode ser uma grande aliada.


Algumas vezes o paciente só se dá conta do problema quando a acne aparece. Nesse caso há medidas que você pode tomar para evitar que as espinhas marquem ou deixem cicatrizes na sua pele. Uma dessas medidas é evitar ao máximo espreme-las.


Fique atento também às temperaturas extremas e à luz solar direta no rosto, não cutuque as espinhas e faça limpezas de pele diariamente. Manter uma boa rotina de cuidados da pele é fundamental para a prevenção e controle do aparecimento da acne, evitando as cicatrizes que tanto incomodam.


Para uma boa limpeza você pode utilizar sabonetes com vitamina C que ajudam a uniformizar o tom da pele por inibir a produção de melanina, amenizando e prevenindo a formação de manchas.


O seu dermatologista de confianã poderá propor tratamentos e procedimentos estéticos para amenizar as cicatrizes. O peeling, por exemplo, ajuda na renovação da pele e auxilia no clareamento gradual das manchas e a melhora nas cicatrizes de acne. Tratamentos como microagulhamento e laser também podem ser indicados de acordo com a necessidade do paciente.


Contar com um bom profissional faz toda diferença na hora de tratar cravos e espinhas e os possíveis desconfortos que os acompanham.


Tratmento dos cravos e espinhas com a Dra. Marina Lino


Antes de iniciar alguma rotina ou tratamento para a pele na adolescência, é primordial que se faça uma visita ao dermatologista. Muitos jovens e adolescentes podem se sentir um pouco tímidos ao consultar um médico. Por isso, é importante que os pais ou familiares incentivem a ida ao especialista e, em alguns casos, acompanhe durante a visita, para oferecer maior confiança.


A escolha dos produtos adequados para o tipo de pele e os problemas identificados pelo dermatologista é a maneira mais segura de cuidar dessa pele que já está tão sensível e suscetível a fatores prejudiciais.


A adolescência não precisa ser uma fase difícil por conta das mudanças na pele. Basta seguir as orientações do dermatologista.


Se você acredita que eu posso te ajudar, agende uma consulta comigo clicando no link abaixo. Na consulta eu avaliarei o seu quadro a partir de uma conversa detalhada e exame clínico. Caso necessário, faremos também exames laboratoriais. Poderemos então adotar uma estratégia individualizada de cuidados, de acordo com o que for identificado.


 





Se você está em busca de ajuda para a queda de cabelo durante o climatério ou menopausa, agende uma consulta comigo clicando no link abaixo.




14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo