PSORÍASE

A psoríase é uma doença inflamatória, crônica e não contagiosa. É relativamente comum e é cíclica,ou seja apresenta momentos de melhora e de retorno das lesões. A psoríase não tem causa definida, mas alguns fatores contribuem para seu aparecimento como genética (histórico familiar), obesidade, tabagismo e consumo de bebida alcoólica, estresse.

           

Ocorre por alteração das células da imunidade, que passam a “atacar” as células da pele, causando lesões vermelhas, com escamas grossas e brancas. Os locais mais frequentes do aparecimento das placas são os cotovelos, joelhos e couro cabeludo.

Além das lesões avermelhadas, podem aparecer manchas brancas e escuras (após melhora da inflamação), espessamento das unhas e coloração alaranjada, inchaço e rigidez articular, coceira, queimação e dor. Nas palmas e plantas além de descamação, pode ter bolinhas amareladas (pústulas), rachaduras.

           

Existem vários tipos de psoríase:

1) Psoríase vulgar, ou em placas: é a forma mais comum da doença. Manifesta-se por lesões secas, avermelhadas e com escamas prateadas ou esbranquiçadas. Pode atingir qualquer parte do corpo, inclusive genitais. Pode apresentar poucas lesões ou atingir toda extensão da pele.

2) Psoríase gutata: Aparecem pequenas lesões com escamas mais finas que a psoríase vulgar, no tronco, braços, pernas e couro cabeludo. Normalmente ocorre após infecções bacterianas como as de garganta. É mais comum em crianças e jovens.

3) Psoríase do couro cabeludo: assemelha-se a caspa, porém geralmente mais intensa. Aparecem áreas avermelhadas com escamas branco-prateadas, principalmente após coçar. As escamas soltam-se do couro cabeludo e ficam presas no cabelo e na roupa.

4) Psoríase ungueal: afeta as unhas das mãos e dos pés. As unhas crescem grossas, escamosas, com coloração amarelada ou alaranjadas e com deformações (pode ficar com furinhos, estrias). A unha pode descolar do leito ungueal, em alguns casos.

5) Psoríase pustulosa: nessa forma de psoríase aparecem pústulas (pequenas bolhas que contém pus), em todas partes do corpo ou áreas menores como mãos, pés ou dedos (chamada de psoríase palmoplantar). As bolhas de pus aparecem poucas horas após aparecer vermelhidão na pele, secam em um ou dois dias, e podem reaparecer em dias ou semanas. A forma extensa (psoríase pustulosa generalizada) pode causar febre, calafrios, cansaço e coceira intensa.

6) Psoríase invertida: esse tipo de psoríase atinge áreas úmidas, como axilas, virilhas, embaixo dos seios e ao redor dos genitais. São lesões avermelhadas e como essas áreas são úmidas e pelo atrito, não apresentam escamas. Pode ser mais grave em pacientes obesos e em pacientes que suam muito.

7) Psoríase eritodérmica: é o tipo menos comum. Nesta forma, toda pele é acometida por manchas vermelhas que podem coçar ou arder intensamente. Geralmente há manifestações sistêmicas. Pode ocorrer após retirada de corticosteróides, queimaduras graves, infecções ou por outro tipo de psoríase mal-controlada.

8) Psoríase artropática: além das lesões da pele, pode ocorrer dor nas articulações, chamada de artrite psoriásica. É mais comum nas articulações dos dedos dos pés e mãos, coluna e juntas dos quadris. Pode causar rigidez progressiva e até deformidades permanentes. E pode estar associada a qualquer forma clínica da psoríase.

 

Tratamento:

         

O tratamento vai depender do tipo de psoríase, da gravidade da doença e da resposta do paciente às terapêuticas instituídas. Cada tipo de psoríase responde melhor a um tipo ou mais de tratamentos.

           

As formas mais leves podem ser tratadas com cremes como corticosteroides, calcipotriol, hidratantes com ureia. Além disso, o sol ajuda com a melhora das lesões, pois a radiação solar ajuda a diminuir o “ataque” das células imunes à pele. Orienta-se 15 minutos de sol por dia.

Nas formas moderadas, além do tratamento utilizado nas formas leves, indica-se a fototerapia: banho de luz em cabines de radiação UVA ou UVB, dependendo do caso e gravidade.

Nas formas graves ou de artrite psoriásica são necessários medicamentos orais ou injetáveis. As medicações visam diminuir a imunidade ou agir em alguma etapa da fisiopatologia da psoríase.

psoríase 1
psoríase 1

psoríase 2
psoríase 2

psoríase 1
psoríase 1