BIÓPSIA DE PELE

A biópsia de pele é um procedimento simples, realizado em consultório sob anestesia local, e que consiste na retirada de um pequeno fragmento de pele/mucosa ou de uma lesão de pele, e enviado para a análise patológica (o médico patologista faz a avaliação da amostra por meio de microscópio). A biópsia pode ser feita por vários tipos de procedimento como “shaving”, excisão com bisturi (exérese), curetagem ou “punch”. 

 

Todas as técnicas utilizadas para a biópsia iniciam com a realização de anestesia local. Após a antissepsia da pele com álcool ou clorexidine (antisséptico), a anestesia é feita com uma injeção fina e causa uma ardência por um período muito rápido e tolerável. Após essa injeção o procedimento é totalmente indolor. Dependendo da técnica utilizada pode ser necessária sutura (realização de “pontos” na pele). 

 

Há várias indicações de biópsia de pele, em especial as lesões neoplásicas malignas (câncer de pele como carcinoma basocelular, espinocelular e melanoma), as lesões benignas (nevos, lipoma, cistos - para confirmação), lesões inflamatórias cuja avaliação pelo dermatologista não pode confirmar totalmente um único diagnóstico como: lúpus eritematoso cutâneo, psoríase, líquen plano, entre outras.

biópsia_de_pele.jpg